sábado, 2 de julho de 2011

A Síndrome de Sansão - O Mal do Século!


Existem tantos males afligindo a humanidade que fica difícil para nós dizer apenas um que seja o mal do século. Houve um tempo em que até eu mesma pensei que o grande mal do século fosse o estresse...que nada! Ainda que, ao olharmos ao nosso redor, pelo mundo afora, vemos tantas coisas ruins acontecendo, o que pode ser pior do que algo que nos afasta do nosso Criador?  Este grande mal de que falo se refere não à algo material, mas espiritual: (Romanos 8:35-39). Lendo sobre a história de Sansão, descobri que, existe algo que tem afetado, em todo o mundo, cristãos, pessoas que servem e amam a Deus de todo o seu coração. O pior de tudo é que, o fator que nos leva a ser afetados por este mal não é externo, ou seja, independe de terceiros, mas, é algo interno, que surge dos nossos corações e por nossa própria vontade. Afinal, que mal é este? A síndrome de Sansão. Para entender melhor sobre o que isso significa, precisamos antes entender quem era este homem e o que aconteceu com sua vida. Sua história se parece muito com o que acontece em nossos dias.
Quem era Sansão?
(Juízes 13:1-7)
Sansão foi um homem que nasceu com um propósito e Deus queria usá-lo de determinada maneira. Assim também é conosco. Não pense que você nasceu sem um propósito, sem uma missão. Não pense jamais que você é apenas mais um. Não importa qual rumo a sua vida tenha tomado, Deus te fez vir à existência porque deseja usá-lo de alguma forma, para cumprir os Seus propósitos. (Jeremias 1:4,5)
Da mesma forma que Sansão recebeu instruções específicas de como deveria ser a sua vida para que ele fosse capacitado a cumprir seu chamado, nós também sabemos, pela Palavra de Deus, como deve ser a nossa vida a fim de cumprirmos com excelência o chamado de Deus para nós: Santidade. A unção de Deus sobre Sansão só viria através de sua obediência em separar-se, em ser um nazireu. Era através de sua obediência que ele seria o homem mais forte dentre todos os povos. É através da nossa obediência, da nossa santidade, da nossa separação das coisas deste mundo que conhecemos mais a Deus e nos tornamos fortes diante das dificuldades (Daniel 11:32b). Este trecho do livro de Daniel é algo muito verdadeiro e talvez nele esteja uma grande explicação para a fraqueza espiritual de muitos. Quando uma pessoa deixa o conhecimento de Deus de lado ela se torna fraca e, consequentemente, deixa de realizar aquilo que Deus determinou para ela. Passa a ser uma presa fácil aos inimigos. Sansão vencia seus inimigos não pela sua própria força, mas porque Deus o capacitava através do seu nazireado: (Juízes 13:24,25). Entenda isso: Deus é comigo enquanto eu for com Ele! É claro que Deus sempre vai me guardar e me proteger, vai sempre me amar, independente da vida que eu leve, mas, ele só vai honrar minhas atitudes, só vai dar vitória para as minhas lutas, se eu estiver N'Ele! Deus faz de mim uma pessoa forte, que realiza proezas, se eu andar em obediência às Suas Palavras!
Sansão tinha uma vida honrada diante de todo o povo e de seus inimigos porque Deus estava com ele. A história só mudou quando sua síndrome veio à tona. O que é a síndrome de Sansão? Consiste em não se incomodar com o pecado; não se incomodar em fazer o que é errado. Sansão achou que não fazia mal pegar um pouco de mel que estava no corpo de um leão que ele mesmo havia ferido dias antes. Porém, seu nazireado consistia também em não tocar nada morto: (Números 6:7; Juízes 14:8,9). Infelizmente isso é o que mais acontece em nossos dias e no meio do povo de Deus. "Não faz mal falar um palavrão"; "não faz mal estar em fornicação, a carne é fraca mesmo"; "Não faz mal ouvir uma música mundana, filmes e programas que não edificam". Amados, isso tudo é muito sério. Temos nos deixado levar por coisas mundanas que em nada edificam e ainda pensamos: "Não faz mal" quando na verdade faz SIM, muito mal! Não é porque estamos neste mundo que podemos participar das coisas que ele nos oferece. Quer dizer, até podemos, mas não devemos pois não nos convém. Perceba que Sansão se desviou de seu caminho apenas para observar o corpo morto do leão. Provavelmente ele queria se gabar, para si mesmo, de sua força, pois ele não usou arma alguma para matá-lo. Acredito que ele não pensou em momento algum em tocar naquele corpo morto, ele só não contava que seria atraído a isso e seria irresistível não tocar. Assim são as coisas deste mundo. Existe sempre algo doce como mel nas obras mortas. Nossa intenção não é pecar, desviar-se dos caminhos de Deus, porém, depois de atraídos, fica quase impossível não ser levado:(Tiago 1:14). Quando cometemos práticas que "não fazem mal", sem perceber, somos influenciados por elas. Quando eu entro em harmonia com as coisas deste mundo mais do que com as coisas espirituais, eu me sujeito e submeto minha mente à elas. Sem que eu perceba, meus pensamentos e atitudes tornam-se frutos de obras mortas. Eu permito que as consequências espirituais daquela prática penetrem em minha vida e, aos poucos, consumam a santidade e pureza que há em mim. Acredite, o mundo não tem nada que seja bom para o nosso espírito a nos oferecer. Em Gálatas 5:19-21 Paulo relata com bastante clareza tudo o que o mundo tem a nos oferecer. Numa simples novelinha inocente fica bem fácil você encontrar todos estes ingredientes juntos, é ou não é verdade?! E ainda tem cristãos que deixam de ir à Igreja, muitas vezes para buscar o Espírito Santo, porque não pode de forma alguma perder o último capítulo, e este é só um exemplo. Seria engraçado se não fosse triste! 
O resultado disso tudo pode ser o mesmo fim trágico de Sansão. Um homem que nasceu com um propósito, cumpriu até certo ponto e terminou seus dias envergonhado. É verdade que Deus foi com ele em seu último suspiro, mas, você com certeza concorda que, se ele tivesse sempre andado em obediência ao seu nazireado, ele jamais teria perdido uma batalha sequer.
Precisamos estar vigilantes, atentos. As coisas deste mundo servem para roubar nosso tempo e nos distrair do que realmente é importante. As coisas que pensamos "não faz mal" nos impedem de ser fortes, conquistar, vencer nossos desafios e ter uma vida honrada até o fim. Bem-aventurado é aquele que não tem de que se envergonhar. Pense nisso!
(Leia também Colossenses 3:8;  I Coríntios 10:12 e II Timóteo 2:15)

Um comentário:

  1. seja sempre este instrumento nas mãos do nosso Deus para despertar os Sansões desta geração. no amor de Cristo, Pr. Jeremias Costa

    ResponderExcluir

O que você achou desta postagem? Comente e compartilhe com seus amigos!
Deus abençoe!