sexta-feira, 13 de maio de 2011

A Mulher Invisível


Você alguma vez na vida já se sentiu invisível? Sabe aquela sensação de quando você fala com alguém várias vezes e esse alguém não te ouve? Quando você acena para alguém e é ignorada? E quando você se esforça, se sacrifica tanto pelas pessoas e nunca é reconhecida? Horrível né?! Muitas mulheres hoje em dia são sempre ignoradas, como se fossem invisíveis mesmo. Em casa, no trabalho, na Igreja. Muitas vezes até mesmo pelas pessoas que mais amam. Mas Deus sempre vê tudo. E não apenas vê como também retribui tudo o que fazemos. Assista este vídeo, tenha a sua fé edificada e suas emoções curadas, beijos!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa (6a. Parte)


CUIDANDO DO PRÓXIMO
“A FILHA DE FARAÓ”

Finalmente, chegamos ao último dia do nosso estudo. Era para ter postado esta última parte no domingo, mas, como o final de semana foi muito corrido devido a nossa Santa-Ceia, só tive este tempo hoje.
Tudo o que aprendemos neste estudo é que, como princesas do Reino de Deus, o Grande Rei, precisamos agir de acordo com Sua Soberana vontade, precisamos agir de acordo com os padrões deste Reino. E como conseguimos isso? Lendo a Palavra de Deus e conhecendo seus princípios para as nossas vidas.
Hoje, quero falar sobre algo muito importante para Deus: o zelo, o cuidado pelo próximo. Lendo a Palavra, descobri uma outra princesa que teve esta característica: A Filha de Faraó. Seu nome nem é citado na Bíblia, porém, ela é de grande valor para a história dos hebreus. Se não fosse por ela, Moisés não teria sobrevivido e não haveria alguém que libertasse os hebreus do Egito mais tarde.
Tudo começa quando Faraó, o rei do Egito, resolve matar todas as crianças do sexo masculino que nascesse entre os hebreus. Como as mulheres hebréias eram muito férteis, ele tinha medo que o povo se multiplicasse mais ainda, tornando-se assim um povo bem mais numeroso que os próprios egípcios e percebessem que, por serem em maior número, poderiam se rebelar contra Faraó e deixarem de ser escravos em terra estranha. Faraó deu ordem a todas as parteiras que, quando fossem ajudar as hebréias durante o parto, se fosse menina, poderia deixar viva, porém, se fosse menino, deveriam matá-lo. Porém, como relata a Bíblia, por “temor a Deus”, elas não obedeceram e ainda  mentiram dizendo a Faraó que, quando elas chegavam para fazer o parto, as hebréias já tinham dado à luz.
Dentre os hebreus, havia uma mulher chamada Joquebede. Ela teve um lindo menino e conseguiu esconde-lo por três meses. Quando não pôde mais, teve uma estratégia. Colocou-o dentro de um cesto betumado e lançou-o no rio, a fim de que, levado para longe pelas águas, alguém o encontrasse e cuidasse dele. É aqui que surge a Filha de Faraó. Ela estava se banhando no rio quando avistou aquele cesto. Vamos acompanhar a história:

Êxodo 2:6

“Abrindo-o, viu a criança; e eis que o menino chorava. Teve compaixão dele e disse: Este é menino dos hebreus”.

·                     Ela sabia que aquele menino era um hebreu e, sendo a filha do homem que ordenou a morte daquela criança, se moveu de compaixão pelo bebê. Ela teve sensibilidade pela causa do próximo. E será que nós, princesas do Reino de Deus, temos tido essa sensibilidade para com o nosso próximo? Como reagimos diante da necessidade de um irmão? Quando alguém nos pede ajuda, estamos dispostas a ajudar? Ela era princesa e, como tal, estava numa situação confortável. Ela não precisava ter se preocupado com aquele bebê. Ao contrário, ela poderia até mesmo ter levado ao pai. Mas não, sua atitude mostrou sua total desaprovação às idéias de Faraó. Ela era sua filha, mas era diferente. Seu coração era piedoso, amoroso e não egoísta. Como princesas do Reino de Deus, nossa situação também é bastante confortável. Apesar de termos problemas, sabemos a Quem recorrer e sempre temos tudo o que necessitamos. Mas, nos preocupamos com o próximo?

Êxodo 2:9

“ Então, lhe disse a filha de Faraó: Leva este menino e cria-mo; pagar-te-ei o teu salário. A mulher tomou o menino e o criou”.

·                     Ela pagou um preço para que ele fosse cuidado e suas necessidades atendidas. Qual é o preço que hoje podemos pagar em favor de outra pessoa? Não é apenas com dinheiro que se paga um preço por alguém, mas também podemos pagar o preço através de oração, intercessão, jejum, apoio, amizade, carinho, afeto. Temos feito isso? Será que, ao sabermos dos problemas de alguém, temos tido disposição de pagar o preço por este alguém?

Êxodo 2:10

“Sendo o menino já grande, ela o trouxe à filha de Faraó, da qual passou ele a ser filho. E esta lhe chamou Moisés e disse: Porque das águas o tirei”.

·                     Ela o adotou e lhe deu um novo nome. Ela não só permitiu e providenciou para que ele tivesse vida, mas também o trouxe para si e lhe deu nome. Só uma mãe ou um pai de verdade fazem isso. Deus também fez isso tudo por nós. Ele nos deu a vida quando nos criou, providenciou a nossa salvação da morte eterna através do Seu maior sacrifício: Jesus, e assim, nos adotando como filhos, nos deu o sustento pela Sua palavra e um novo nome (Apocalipse 2:17).

O mais interessante nessa história toda é que, esta princesa, a Filha de Faraó, fez isso tudo sem imaginar quem um dia seria Moisés. Jamais passou pela sua cabeça que seu filho adotivo, aquele bebê inocente, seria um dia, o libertador dos hebreus. Deus sempre faz coisas que jamais imaginamos quando nos preocupamos com a causa do próximo. Principalmente, quando fazemos algo bom para alguém sem esperar nada em troca. Isso é agradável aos olhos D’Ele. Infelizmente uma atitude assim nos dias de hoje é quase impossível, pois num mundo em que as pessoas sempre se preocupam apenas consigo mesmo, sempre egoístas, materialistas, e muitas vezes sacrificando o tempo que deveriam estar com suas próprias famílias para conseguirem o que querem, fica difícil pensar na dor e no sofrimento do próximo.
Mas, existe algo que pode trazer essa sensibilidade para os nossos corações: o amor de Deus, o amor que Jesus nos ensinou e que Ele mesmo tem por nós.
Em Mateus 22: 37-40 diz:

“Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os profetas”.

O que Jesus queria dizer com isso? Moisés havia deixado dez mandamentos e agora Jesus diz que apenas estes dois importam? E os outros?
Quantas vezes fazemos tantas coisas na nossa vida, fazemos coisas até mesmo na Casa de Deus, pensando assim que estamos O agradando, mas, fechamos os nossos ouvidos ao clamor do pobre e do necessitado. Às vezes este pobre e necessitado esteja dentro da nossa casa, no ambiente de trabalho, e, sem perceber seu problema, o ignoramos.
Nos tempos de Jesus, e ainda hoje, as pessoas dizem que fazem tudo, qualquer coisa para agradar a Deus, mas, na verdade, não é bem assim. Muitos de nós, pensando em agradar a Deus, agimos na religiosidade.
Estas palavras de Jesus eram justamente para nos mostrar que, por mais que eu faça coisas para Deus, por mais que eu tenha uma vida exemplar diante de Deus e dos homens, por mais que eu pague minhas contas em dia e não deva nada a ninguém, se eu não tiver amor pelo próximo, eu estarei anulando todas as coisas boas que eu faço. Por outro lado, se eu amar em primeiro lugar a Deus e amar o meu próximo como a mim mesmo, automaticamente, eu estarei cumprindo toda a Lei de Deus. Amar a Deus significa ter temor, zelo, pela minha comunhão com Ele. Amar ao próximo significa me preocupar com as outras pessoas. A partir do momento que eu tenho temor de Deus, eu não vou pecar contra Ele. A partir do momento que eu me preocupo com o próximo, eu não vou matá-lo, não vou furtá-lo, não vou dar falso testemunho, não vou cobiçar o que é do próximo, enfim, não vou fazer para outro o que eu não faria contra mim mesmo. “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” é isso: fazer pelo próximo o que eu faria por mim, cuidar do próximo como cuidaria de mim. Este é o nobre sentimento que deve estar no nobre coração daqueles que fazem parte de um Grande Reino, o Reino de Deus. E é este sentimento que Deus, o Rei, quer que habite sempre em nossos corações.
Espero que este estudo tenha sido tão bênção para você o quanto foi para mim. Quero encerrar com o seguinte trecho da Palavra de Deus, que diz:

“ A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a Lei”.
Romanos 13:8

* Paulo resumiu as obrigações dos cristãos para com os outros no mandamento de amor ao próximo, identificado como qualquer pessoa em necessidade. (Ref. Comentário Bíblia de Estudo da Mulher,R.A.)
Em outras palavras, devemos ajudar, dar apoio, a qualquer pessoa necessitada. Lembrando que, existem vários tipos de necessidades. Que tenhamos sempre um coração sensível às necessidades do próximo, assim como a Filha de Faraó que, mesmo sendo princesa de um reino incrédulo, livrou a vida de Moisés da morte. Se ela pôde fazer isso, quanto mais nós que somos princesas que amam e honram ao Único e Grande Rei?

ORAÇÃO FINAL:

“Pai querido, muito obrigada por me fazer conhecer mais da Tua Palavra e da Tua vontade para minha vida. Te agradeço pois através deste estudo pude aprender um pouco mais sobre agrada-Lo. Mantenha o meu coração livre de todo egoísmo. Abre Senhor os meus ouvidos às necessidades do meu próximo e capacita-me a ser uma bênção a todos aqueles que me cercam. Obrigada Pai querido por ter me adotado como Sua filha e feito de mim a princesa que hoje sou. Que eu possa sempre estar dentro dos padrões do Teu Reino. Obrigada pelo seu amor e cuidado comigo. Em nome de Jesus, Amém!”

quinta-feira, 5 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa (5a. Parte)


A PRINCESA QUE AGRADA AO REI
Atitude é tudo!

Ester 2:4

“A moça que cair no agrado do rei, essa reine em lugar de Vasti...”

No nosso último estudo falamos sobre Ester e em como ela conquistou o coração do poderoso rei Assuero. Para nós que conhecemos as maneiras de Deus agir em favor de seus servos e servas, fica claro que, apesar de Ester ser uma jovem muito bonita, por haver o plano de Deus na vida dela e através dela pelo povo, não era apenas sua beleza que contava, mas, principalmente Quemestava com ela. Você já deve ter ouvido aquela frase: “Maior é o que está em você do que o que está no mundo”, não é mesmo? Incrível, mas a pura realidade! Quem estava com Ester já lhe garantiu de antemão a vitória, ainda que tenha sido necessário ela passar por todo aquele tempo de preparação e pelos rituais, como falamos antes. Assim é com você também! Deus está com você e, de antemão, quando você age em obediência à Sua Palavra, Ele te garante a vitória.
O mais maravilhoso em saber que Deus está conosco é sabermos também que, além de estar conosco, Ele coloca em nós as características que precisamos ter para agradar a Ele mesmo! Por isso podemos dizer que Ele é o nosso Provedor em tudo! Aleluia!!!

Lendo I Pedro 3:4 nos deparamos com a seguinte característica que agrada ao Grande Rei:

“...seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranqüilo, que é de grande valor diante de Deus”.

Se você ler o capítulo desde o início, pode pensar que Pedro está dizendo que não é importante ter uma boa aparência, mas, isso não é verdade. A aparência externa é importante, porém, o que mais agrada a Deus não é você usar as roupas da moda, ou estar no salão de beleza toda semana, isso tudo é muito bom, porém, corruptível, ou seja, se acaba. O que realmente agrada a Deus é a sua aparência interna, é o que há no seu coração. Deus se preocupa com a sua beleza interior que é demonstrada por “um espírito manso e tranqüilo”.  
Nós mulheres, adoramos nos vestir bem, principalmente quando vamos à Casa de Deus, porém, Deus está observando nossas vestes interiores. Com que vestimos nosso espírito? Se vivemos de um lado pro outro, preocupadas, ansiosas, tendo atitudes precipitadas, estamos agradando a Deus? Com certeza não. Quando o apóstolo Pedro fala sobre trajar um espírito manso e tranqüilo ele não está falando de temperamento, no caso daquelas pessoas que são mais quietinhas, de poucas palavras, e sim de atitudes que são marcadas pela ausência de ansiedade e precipitação e que, ao mesmo tempo, demonstram a confiança que a pessoa tem em Deus.
Note que Ester demonstrou essa característica quando disse: “Vou jejuar junto com minhas servas e depois vou entrar diante do rei; está nas mãos de Deus... se perecer, pereci”. Ester 4:16 (Coloquei com minhas palavras)
A confiança de Ester agradou tanto a Deus que ele fez com que ela agradasse ao rei. Ela primeiro agradou ao Grande Rei, consequentemente, seu marido e, com isso, conseguiu o que queria.

Por mais que gostamos e nos preocupamos com a nossa aparência externa, precisamos nos preocupar em primeiro lugar, com a beleza do nosso espírito. Por mais que eu me vista bem, por mais que eu me arrume e as pessoas sempre me vejam numa “super produção”, (o que é positivo e totalmente cabível a uma princesa) o que conta para a minha vida espiritual é como eu reajo diante das circunstâncias contrárias da minha vida.
Como você reage diante de uma má notícia? Você se desespera, age no impulso? Ou você, como Ester, dobra os seus lindos joelhos diante do Rei, se humilha diante D’Ele para alcançar o milagre que precisa?
Na maioria das vezes, quando nos desesperamos e agimos no impulso, demonstramos um sentimento que entristece muito a Deus: independência.
Por outro lado, quando eu reajo com tranqüilidade e me ponho na presença de Deus, levando à Ele meus problemas, mostrando que de mim mesma eu não posso nada, eu estou dizendo com atitudes: dependo de Ti, Senhor!

Eu posso estar super bem vestida, mas, se no momento da adversidade, eu não estiver trajando um espírito manso e tranqüilo, posso colocar tudo a perder. Temos que estar sempre atentas, pois, a qualquer momento podemos ser colocadas à prova.

Houve uma outra mulher na bíblia que, assim como Ester, foi pega desprevenida e colocada à prova por Deus. Seu nome é Abigail. Ela era casada com um homem tolo que se chamava Nabal e a Bíblia os caracteriza assim:

(I Samuel 25:3)

“...esta era sensata e formosa, porém o homem era duro e maligno em todo o seu trato...”

Imagine a situação desta pobre mulher. Digo pobre no sentido de coitada. Devia ser horrível para ela conviver com alguém que, não era apenas diferente dela, mas uma pessoa terrível, quase que insuportável de se estar perto. É assim que eu vejo a vida de Abigail, ela devia viver “pisando em ovos”. Certamente, Nabal não foi o príncipe com quem ela sempre sonhou, porém, a misericórdia de Deus para com ela foi grande.
A mudança em sua vida começa quando seu marido, o tolo Nabal, nega o pedido de ajuda de Davi e este, furioso, promete se vingar de toda a sua casa. A destruição é iminente. Num tempo em que as mulheres deviam ficar caladas e jamais se intrometer nos negócios de seu marido, surge Abigail, com toda a sua beleza exterior, sua sensatez, mansidão e tranqüilidade. Sua conversa com Davi mostra sua reverência e o quanto ela acreditava que Deus era com ele. Só pra resumir, ao ouvir tudo que Abigail disse, Davi responde:

(ISamuel 25:33-35)

“Bendita seja a tua prudência, e bendita sejas tu mesma, que hoje me tolheste de derramar sangue e de que por minha própria mão me vingasse. Porque, tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, que me impediu de que te fizesse mal, se tu não te apressaras e me não vieras ao encontro, não teria ficado a Nabal, até ao amanhecer, nem um sequer do sexo masculino. Então, Davi recebeu da mão de Abigail o que esta lhe havia trazido e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; bem vês que ouvi a tua petição e a ela atendi”.

Imagino que, quando Davi olhou para Abigail, por ser uma mulher formosa, ele certamente gostou do que viu (afinal, ele era um homem!), porém, o que fez com que ele mudasse de idéia foi a atitude de Abigail e não a sua beleza. O que chamou a atenção de Davi em Abigail foi a sua prudência e seu espírito apaziguador. Qualidades que nos remetem às características que agradam ao Grande Rei: mansidão e tranqüilidade.
No final de tudo, Nabal, ferido pelo Senhor, morre e Davi, sabendo disso, fez seu pedido de casamento a Abigail. (É, com certeza, ele tinha gostado do que viu! Rsrsrs). Note que ele não obrigou Abigail a se casar com ele, mas fez com que ela soubesse do seu desejo, em outras palavras, agiu como um cavalheiro. A sensatez, tranqüilidade e mansidão de Abigail lhe rendeu um novo casamento, uma nova vida. Certamente, Davi era o príncipe com quem Abigail sempre sonhou!

Você pode e deve ler toda esta história na íntegra em I Samuel 25:1-42

Lembre-se sempre disso: Um visual maravilhoso sem Deus se desfaz diante de um espírito manso e tranqüilo, porém, você pode ter um visual super bem produzido e, ao mesmo tempo trajar um espírito manso e tranqüilo, sempre confiante e dependente do Senhor, pois é isso que realmente importa e agrada ao Grande Rei. Por isso, desfaça-se de toda ansiedade e vista-se com os trajes reais de uma princesa.

ORAÇÃO DE HOJE:

"Pai querido, o meu maior desejo é agradar ao teu coração e ser sempre aceita perante a Tua presença. Preciso Senhor que o teu cetro de amor esteja sempre estendido para mim, por isso, ajuda-me a agradá-Lo. Eu reconheço que preciso ser da maneira que  Tu queres que eu seja, então, retira de mim toda ansiedade, todo sentimento de suficiência. Eu não posso e não quero agir por impulso no momento da adversidade. Ajuda-me Senhor a ter um espírito manso e tranqüilo. Quero ser bonita por dentro e por fora. Que a tua graça seja sempre sobre mim, ensinando-me a ser mansa, tranqüila e confiante como Ester, sensata e prudente como Abigail, a fim de que eu sempre consiga tudo aquilo que quero e preciso de Tuas mãos. Em nome de Jesus. Amém!"

Até amanhã, quando teremos a última parte deste estudo, você que acompanhou até aqui, não pode perder!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa - Parte 4



A plebeia que se tornou princesa...

Hoje vamos falar de uma mulher muito conhecida e muito honrada na Palavra de Deus. Hadassa, jovem humilde, judia da tribo de Benjamim, cujos pais morreram durante o exílio babilônico. Por ser órfã, seu primo, Mordecai,  passou a tomar conta dela. Eles moravam na fortaleza de Susã sob o reinado de Assuero, casado com a rainha Vasti. A vida de Hadassa, também conhecida como Ester, muda completamente quando a rainha resolve desobedecer uma ordem de seu marido. O resto da história você provavelmente já conhece, mas quero chamar a sua atenção hoje para algo muito importante e decisivo para que Hadassa fosse escolhida pelo rei: sua preparação.

Ester 2:12,13a diz:

“Em chegando o prazo de cada moça vir ao rei Assuero, depois de tratada segundo as prescrições para as mulheres, por doze meses (porque assim se cumpriam os dias de seu embelezamento, seis meses com óleo de mirra e seis meses com especiarias e com os perfumes e ungüentos em uso entre as mulheres), então, é que vinha a jovem ao rei...”

Para cada nova fase de vida, precisamos estar preparadas. Não adianta você querer uma determinada posição no mercado de trabalho se você não se preparar para isso. Não adianta você querer comprar o carro do ano se não possui habilitação para dirigi-lo. E assim é também com as fases e desafios que precisamos enfrentar em nossas vidas. Em outras palavras, precisamos nos preparar para viver aquilo que tanto desejamos.
No caso de Ester, antes que as moças fossem levadas ao rei para que ele escolhesse a substituta de Vasti, era preciso que todas passassem por um ritual de embelezamento. E elas só estariam prontas após o tempo de um ano. Imagine que foram levadas para o palácio moças de toda a cidadela de Susã, moças humildes, pobres sem muitos tratos. Elas não podiam estar diante do rei de qualquer forma, precisavam receber os tratamentos de beleza, além de serem educadas em como agradar ao rei.
Vamos entender este ritual de embelezamento pelo qual Ester teve que passar, de maneira espiritual. Afinal de contas, nós também precisamos nos preparar a fim de agradar ao Grande Rei.
No versículo acima vemos que havia um tempo determinado para toda aquela preparação. Era exatamente um ano. Seis meses com óleo de mirra e seis meses com ungüentos, especiarias de uso comum entre as mulheres.
E este é o primeiro princípio de Deus que não podemos ignorar: o tempo!
Dois trechos bíblicos que gosto muito nos falam de maneira clara sobre o tempo, que estão emEclesiastes 3:1 e 11 e diz:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu...Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo...”

O texto diz que “tudo” tem seu tempo determinado, mas por quem, quem determina este tempo? Deus! Assim como era o rei quem determinava o tempo que as moças deviam estar em preparação, Deus é quem determina o momento certo para todas as coisas em nossas vidas. Por mais que a gente faça planos, o que prevalece é sempre o que Deus quer. Quando agimos contra a vontade de Deus tentando adiantar as coisas, acabamos sem perceber, perdendo tempo. Com isso o tempo determinado por Ele acaba aumentando e atrasamos muitas coisas. O texto diz também que tudo fez Deus formoso, ou seja, bom, perfeito, mas desde que seja dentro do tempo que Ele determinou.
Não podemos querer apressar as coisas, precisamos passar pelo teste do tempo. É muito difícil, mas, quem consegue, sempre é aprovado e alcança o que deseja!

Voltando para Ester, biblicamente falando, a mirra era um dos elementos que compunha as essências aromáticas que eram queimadas no templo junto com as ofertas de adoração. Este óleo queimado trazia uma agradável e suave fragrância. Sendo assim, podemos entender que, para nós, o óleo de mirra representa a unção. O que é unção? Unção é a capacitação que Deus nos dá para realizar algo.  Unção é algo que só conseguimos através de nossas orações que, enquanto nos preparamos, devem ser constantemente exaladas diante do Senhor.

Apocalipse 8:4 diz:

“...e da mão do anjo subiu à presença de Deus a fumaça do incenso, com as orações dos santos”.

Encontrei um texto muito interessante em minha bíblia de estudos que vou dividir com vocês, ele diz:

“O processo de embelezamento antigo chamado de “seis meses com perfumes foi esclarecido pela descoberta arqueológica de um incensário cosmético daquela época. Durante o período persa e até mesmo entre algumas tribos árabes do presente, as mulheres faziam uma pequena fogueira com carvão num buraco no chão. Um óleo aromatizado com alguma fragrância, como a de sândalo, cravo, mirra ou rosa era colocado no incensário cosmético e aquecido no fogo. A mulher se abaixava nua sobre o incensário, com seu manto cobrindo-lhe a cabeça e o corpo para formar uma espécie de tenda. À medida em que ela transpirava, seus poros abertos absorviam a fragrância do óleo. Quando o fogo acabava, sua pele e roupa estavam completamente perfumados”.
(* Blíblia da Mulher, R.A. página 629)

Pronto, já sabemos como funcionava uma sauna nos tempos bíblicos! Você pode perceber que, o óleo era queimado e a fumaça com aquela essência penetrava os poros, purificando e perfumando assim todo o corpo da mulher.

As nossas orações também são um ritual de embelezamento. Quando oramos, nos aproximamos de Deus. Ao nos aproximar de Deus, nos tornamos mais parecidas com Ele. As impurezas são completamente excluídas de nós e assim, ficamos purificadas.  Purificadas e preparadas para entrar na presença do Rei. Sem pureza e santidade, ninguém verá ao Rei, e sem estar diante do Rei, não há como ser princesa: Hebreus 12:14b


Talvez você esteja diante de uma nova fase em sua vida ou até mesmo desejando que se inicie uma nova fase, algo que você nunca viveu. Prepare-se, ore, encha-se da unção, da capacitação de Deus, pois só assim você vai viver tudo de maneira perfeita e no tempo determinado por Ele. Ester e todas as outras moças tinham esperanças de serem escolhidas  pelo rei, mas ela só conseguiu agradá-lo passando por tudo que era preciso e assim, ela deixou de ser plebéia e se tornou não só uma princesa, mas uma rainha.
Deus tem planos que você nem imagina pra sua vida. Espere N’Ele, descanse N’Ele, e principalmente prepare-se N’ele, pois na hora certa, tudo o que você deseja, acontecerá.
A ordem é preparação!

“ ...Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus te preparado para aqueles que O amam”.
I Coríntios 2:9



ORAÇÃO DO DIA:

Senhor meu Deus e Meu Pai, eu quero viver todos os planos que o Senhor tem pra minha vida. Tenho muitos sonhos, muitos objetivos, mas não quero de forma alguma nada que esteja fora dos Teus planos e da Tua vontade.
Pai querido, retira do meu coração toda ansiedade, pois eu não posso atrasar os teus desígnios pra minha vida. Ajuda-me a esperar em Ti. Ajuda-me a entender que o tempo é um aliado e que eu preciso passar por ele.
Enquanto eu espero, enche-me da Tua unção, da Tua capacitação, prepara-me, pois eu quero estar pronta para todas as fases da minha vida e para alcançar os desejos e sonhos do meu coração. Purifica-me, santifica-me neste dia e me faça mais parecida Contigo, em nome de Jesus. Amém!


Até amanhã!

terça-feira, 3 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa (3a. Parte)


PRINCESAS QUE AGEM COMO PLEBÉIAS

Como vimos anteriormente, não há nenhum brilho, nada de especial em pessoas sem o Espírito Santo. Exceto o amor que Deus tem por toda a criatura, pois Ele não faz acepção.
E é aqui que está outra grande lição: Se somos princesas de um Reino muito superior que é o Reino de Deus (acredite, isso é um fato, você é uma princesa!), não podemos agir como“plebéias espirituais”. Quando tratamos alguém que tenha uma boa condição financeira e social melhor e com mais zelo do que uma pessoa menos favorecida, ainda que inconscientemente, estamos fazendo acepção. O que é acepção? Fazer acepção é você dar a pessoa um tratamento de acordo com sua significância social. Ou seja, se estamos diante de uma autoridade, alguém importante, a tendência é tratarmos essa pessoa com maior atenção. Por outro lado, ao estarmos diante de alguém menos favorecido que nós, a tendência é tratá-la sem nenhum cuidado e até mesmo com certo desprezo. Porém, a Palavra nos ensina que Deus trata a todos os homens da mesma forma, com igualdade. Foi por toda a humanidade que Deus entregou Seu único Filho, para morrer por todos, pobres, ricos, homens e mulheres de toda tribo, língua, povo e nação, sem fazer distinção.

Leitura: Tiago 2:1-9 – Aqui, Tiago escreve sobre os perigos em se fazer acepção, distinção entre as pessoas. Ele começa o texto dizendo: “Não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da Glória, em acepção de pessoas”. Em outras palavras, ele estava dizendo que, a fé em Jesus Cristo, que morreu por todos e acepção de pessoas não combinam, não podem caminhar juntas. Ele ainda diz que, se agimos deste modo, somos tomados por pensamentos perversos e termina nos mostrando que devemos agir com misericórdia, pois a misericórdia triunfa sobre o juízo. (Apesar deste resumo, é importante que você mesma faça a leitura deste texto em sua Bíblia).

Outros textos bíblicos que nos falam sobre acepção:

Atos 10:34; Romanos 2:11; Gálatas 2:6 (este é demais!); Efésios 6:9; Colossenses 3:25 e por último I Pedro 1:17

Tentei me lembrar de alguma mulher na Bíblia que tenha agido desta forma, a fim de enriquecer nosso estudo. Só me veio uma à mente, que, apesar de ter sido uma princesa de fato, sem perceber, agiu como uma plebéia espiritual.   Vamos ver?

MICAL

Ela era filha mais nova do rei Saul, portanto, uma princesa de fato. Sua história com Davi é cheia de altos e baixos. Ela foi dada em casamento à Davi pelo seu pai, Saul, com a intenção de ser um laço para ele. Saul esperava que, através de Mical, conseguiria matar a Davi. Porém, ela demonstrou lealdade a seu marido. Em todas as oportunidades que teve, ajudou-o a fugir, ainda que contrariando as vontades de seu pai. Ela fazia isso porque o amava. Seu erro foi justamente quando ela despreza Davi em seu coração.

II Samuel 6:14,15,16, 20-23

“Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava cingido de uma estola sacerdotal de linho. Assim, Davi, com todo Israel, fez subir a arca do Senhor, com júbilo e ao som de trombetas. Ao entrar a arca do Senhor na Cidade de Davi, Mical, filha de Saul, estava olhando pela janela e, vendo ao rei Davi, que ia saltando e dançando diante do Senhor, o desprezou no seu coração...Voltando Davi para abençoar a sua casa, Mical saiu a encontrar-se com ele e lhe disse: Que bela figura fez o rei de Israel, descobrindo-se hoje, aos olhos das servas de seus servos, como, sem pejo, se descobre um vadio qualquer.”

A arca do Senhor estava voltando para o lugar de onde ela nunca deveria ter saído e isso era motivo de muita alegria, não só para Davi, mas para todo o povo. A arca representava a presença de Deus, ou seja, simbolicamente, Deus estava voltando para o meio de Seu povo. Ao invés de demonstrar alegria, Mical mostra desprezo, não somente a Davi, mas principalmente para com a arca. Em seu entendimento, não havia motivos para Davi festejar tanto e se colocar em humilhação diante da arca. Porém, Davi lhe respondeu:

“Perante o Senhor, que me escolheu a mim antes do que a teu pai e a toda a sua casa, mandando-me que fosse chefe perante o povo do Senhor, sobre Israel, perante o Senhor me tenho alegrado”.

Em outras palavras, Davi estava dizendo: Por tudo que Deus fez por mim, por ter me escolhido para ser rei sobre o Seu povo, a Ele dedico minha total adoração.

“Ainda mais desprezível me farei e me humilharei aos meus olhos; quanto às servas, de quem falaste, delas serei honrado”.

Deus requer de todos nós, inclusive dos reis daquela época, um coração humilde e contrito perante Ele. Mical jamais poderia entender isso porque, assim como seu pai, era arrogante e não tinha um coração que adorava a Deus. Muitos teólogos acreditam que, por causa dessa sua atitude, Mical ficou estéril, todos os dias de sua vida, e não teve filhos.

“ Mical, filha de Saul, não teve filhos, até ao dia de sua morte”.

Não está comprovado que sua esterilidade era por este motivo, porém, como esta informação vem logo após o relato de seu desprezo e descaso para com a arca do Senhor, acredita-se que tenha sido por isso.
Olha só que contraditório: Mical, a princesa de Israel, desprezava o verdadeiro Rei de Israel. E isso é ainda muito comum nos nossos dias. Muitas princesas, sem perceberem, sem se darem conta, desprezam a Deus.
Como eu, que sirvo a Deus, posso desprezá-lo? Quando desprezo a Sua vontade, Sua palavra, quando não me submeto aos Seus padrões. Quando não reconheço que tudo que sou, vem D’Ele. Se sou uma princesa, é porque Ele me fez assim, dependo de Deus para continuar sendo, e preciso reconhecer isso. 
Se fazer acepção, distinção, desprezar pessoas já é algo muito grave como lemos no início do estudo de hoje, quanto mais desprezar o próprio Deus!
Quando desprezo a Deus, o grande Rei, trago esterilidade para diversas áreas da minha vida, e isto é muito sério.

Oração de hoje:

"Pai querido, limpa meu coração de todo mal, não permita que em momento algum eu venha a desprezar a alguém, mas que eu possa olhar com teus olhos, que eu possa ser misericordiosa como a tua Palavra nos ensina. Ajuda-me Senhor a nunca desprezar a tua Palavra e nem a tua vontade para a minha vida. Retira Senhor toda esterilidade que possa estar instalada em qualquer área da minha vida. Eu reconheço que, me tornei uma princesa pelo teu amor por toda a humanidade e que dependo de Ti para continuar sendo. Receba Senhor a minha adoração neste dia, em nome de Jesus. Amém!

Até amanhã!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa - Parte 2



PLEBÉIA X PRINCESA, Quem você é?  
(Ao final da postagem, tem uma oração que precisamos fazer juntas, ok?!)

Quero deixar bem claro que, neste estudo, a conotação de plebeia ou princesa nada tem a ver com condição social ou financeira. Vamos encarar essas conotações de forma espiritual. Sendo assim, em se tratando do Reino de Deus, precisamos entender o que é ser uma plebeia e o que é ser uma princesa.
É bem fácil. Plebeia vem da palavra plebe e significa *conjunto de pessoas pertencentes às classes menos favorecidas, que são governadas por um reino. Ou seja, plebe é todo aquele que é governado por um reino, porém, não faz parte dele. A “plebeia espiritual” é aquela que tem atitudes reprováveis ao Reino de Deus e por isso, não consegue se adequar ao mesmo. Por outro lado, a princesa é alguém que já nasce na família real ou se torna através do casamento com alguém da realeza, como a Kate, como vimos na semana passada. Conosco foi da mesma forma. Não nascemos princesas, nascemos plebéias. Não nascemos filhas de Deus e sim criaturas. Nos tornamos filhas quando aceitamos o plano da salvação, através de Jesus Cristo. A “princesa espiritual” sempre age de acordo e dentro dos costumes do Reino ao qual pertence.  Ao fazermos parte deste Reino, algo maravilhoso acontece...

(*fonte: Dicionário Aurélio)

 A COROAÇÃO

A coroação é a cerimônia de mudança, de passagem. Conhecemos vários textos bíblicos que nos falam sobre a coroação de diversos reis. A coroa serve para diferenciar as pessoas. Um homem ou uma mulher, por mais bem vestidos que estejam, sem uma coroa, são apenas pessoas comuns. Porém, se vemos um homem ou uma mulher usando uma coroa, sabemos que faz parte da família real.
Ao dobrarmos nossos joelhos diante dos homens e de Deus e confessarmos a Jesus como nosso Salvador, assim como numa cerimônia de coroação, também recebemos uma coroa. Particularmente, penso que essa coroa que recebemos representa o Espírito Santo de Deus em nossas vidas. Assim como uma pessoa sem uma coroa é só uma pessoa, alguém sem o Espírito Santo de Deus é apenas mais um em meio à multidão.   Da mesma forma que não há nada de especial em alguém sem uma coroa, também não há nada de especial em alguém sem o Espírito de Deus. Gosto muito das palavras do anjo Gabriel sobre o Espírito Santo, pois nos revela exatamente o que é ser envolvido por Ele: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra” E em seguida ele diz que para Deus não haverá impossíveis (Lucas 1:35-37). Aqui está a nossa primeira lição: O Espírito Santo faz com que tenhamos atitudes e postura de verdadeiras princesas do Reino. Com o Espírito Santo podemos crer que, não há impossíveis para todas aquelas que se deixarem serem envolvidas pela sua doce presença. É Ele quem nos torna capazes de realizar proezas. É Ele quem nos dá todo o suporte que precisamos, ajudando e nos consolando nos momentos mais difíceis. É Ele quem nos ensina a servir a Deus. Entende porque sem o Ele eu e você somos mulheres sem brilho, meras “plebéias”?  Existem muitas mulheres que se julgam princesas pelo fato de se vestirem bem, por terem um bom trabalho, por conseguirem sempre tudo o que querem, é uma pena, pois, na verdade, muitas delas pensam assim por terem seus valores espirituais equivocados. Muitas nem sabem o que são valores espirituais! Princesa de verdade não é aquela que, como uma menina mimada, consegue tudo o que quer, mas sim, é aquela que é sempre suprida por Deus em tudo o que precisa! Você nunca vai ver uma princesa correndo atrás do que precisa, ou preocupada por falta de dinheiro, pois tudo está sempre à sua volta. É assim que as princesas espirituais são tratadas pelo Pai, o Grande Rei. Ele sempre as supre em tudo.
Para ilustrar tudo isso que estamos falando, quero trazer a você hoje Maria, a mãe de Jesus.

Lucas 1: 28  “E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo”.
Naquele tempo, nenhuma mulher ouviu algo parecido. Dentre as matriarcas da fé, nenhuma mulher notável antes dela teve o grande prazer de ouvir palavras parecidas. Talvez seja por este motivo que Maria ficou tão assustada e tentando entender o que estava acontecendo. Note que Deus enviou o anjo atrás dela, onde ela estava. Deus sempre vem a nós quando menos esperamos!

Lucas 1:30  “Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus”.
Ela era uma jovem de origem simples e humilde, porém, Deus enxergou nela uma princesa. Certamente ela era alguém de atitude e postura superior às demais jovens. Lembre-se: são suas atitudes que a diferenciam e fazem de você uma princesa de verdade!

Lucas 1:35 – Ao aceitar o plano que Deus tinha para sua vida, ela recebeu a “Coroa”, o Espírito Santo de Deus!

Lucas 1:31-38 – Faça a leitura em sua bíblia.
Neste trecho, a palavra nos mostra detalhes interessantes. O primeiro é que Deus tinha um plano para a vida dela. E não era qualquer plano. Era o plano que salvaria toda a humanidade. Deus lhe dá a notícia e ela em momento algum foi contra. Ela era noiva, tinha seus planos, pela sua preocupação em como tudo aconteceria percebemos que seu casamento não estava perto, no entanto, em momento algum ela se opôs. Estava ali, diante do anjo de Deus, ouvindo atentamente. Refém da vontade e do plano de Deus. Uma princesa espiritual sempre age da mesma forma. Nunca questiona os planos de Deus, nunca se opõe à Sua vontade. Ela termina dizendo: “Aqui está a serva do Senhor, que se cumpra em mim conforme a tua palavra”.

Depois de tudo isso, ela iria precisar de algumas coisas importantes.
Primeiro ela precisava da compreensão de seu noivo: (Mateus 1:19-25) E ela teve!
Ela precisou da provisão de Deus para o seu parto: (Lucas 2:4-7) E ela teve!
Ela precisou de suprimentos para seu filho: (Mateus 2:11) E ela teve!
Ela precisou da direção de Deus: (Mateus 2:12-15) E ela teve!
Ela precisou do livramento de Deus: (Mateus 2:19-23) E ela teve!

Tudo de que ela precisava, Deus entregou em suas mãos e supriu a fim de que os Seus planos se cumprissem à risca na vida daquela jovem.

E será assim também na sua vida, se você assim como Maria, agir como princesa e disser: “Aqui está a serva do Senhor, que se cumpra em mim conforme a tua palavra”.

Oração de hoje:
Pai querido, obrigada por ter me escolhido e por ter feito de mim mais uma de muitas princesas do Seu Reino. Quero sempre manter a minha coroa, que é o teu Espírito Santo em minha vida. Ajuda-me a ser uma princesa com atitudes e posturas que condizem com Teu Reino. Apesar de ter os meus sonhos e objetivos, quero sempre me adequar e me adaptar à Sua vontade, aos Seus planos, pois sei que são sempre bem melhores que os meus.
Supre-me Senhor em tudo o que eu preciso e me ajude a confiar em teu amor todos os dias.  Retira do meu coração Senhor toda rebeldia. Quero ser obdiente à Ti. Não só hoje, mas todos os dias de minha vida, quero dizer: Aqui está a serva do Senhor, que se cumpra em mim conforme a tua palavra, em nome de Jesus, Amém!

Até amanhã!

domingo, 1 de maio de 2011

De Plebéia à Princesa (1a. Parte)



Nesta semana nos deparamos com um grande acontecimento na família real britânica: o casamento do príncipe Willian (filho da saudosa Lady Di com o príncipe Charles) e da plebéia Kate. Os holofotes do mundo todo estavam voltados para a Inglaterra nos últimos dias. Certamente você, assim como eu, ficou curiosa por saber o modelo do vestido e detalhes da cerimônia. Realmente, um casamento desse nível é o sonho de princesa de toda mulher. Imagine a quantidade de garotas da mesma idade de Kate que também sonham em ter um casamento assim? Com certeza, a maioria das garotas inglesas sonha em deixar de ser plebéia e se tornar princesa. Quantas de nós, pelo menos uma vez na vida, não teve este mesmo sonho, não é verdade? O mais incrível em tudo isso é que, sem precisar de um casamento tão cheio de pompas, isso é possível. Quando entregamos a Deus nossas vidas, reconhecendo a Jesus Cristo como nosso Único, Suficiente, Exclusivo e Eterno Salvador, deixamos de ser plebéias e nos tornamos princesas de um Reino muito superior à família real britânica. Tornamos-nos princesas do Reino de Deus. Como tal, assim como a Kate (agora princesa) precisa se adequar aos costumes da realeza britânica, nós, precisamos também nos adequar e nos adaptar à realidade do Reino ao qual pertencemos. Entenda  isso: Não importa qual é a visão que seu marido, seus filhos, seus pais, amigos, parentes e até mesmo você tenha a seu respeito. Quando Deus, O Grande Rei, te olha, Ele te vê como uma princesa. Portanto, não podemos ser princesas com atitudes de plebéias; não podemos ser nova criatura e agir como se nenhuma transformação tivesse ocorrido em nós, não é verdade?
E é por isso que, nesta semana, vamos estudar a vida de algumas mulheres da Bíblia. Mulheres plebéias que, com suas atitudes, se tornaram princesas. Princesas que tinham atitudes de plebéias. Mulheres comuns, como eu e você que, apesar de não terem entrado para a família real, agiam como verdadeiras princesas diante de Deus.
Acredito que é exatamente isso que deve importar para nós: a visão que Deus tem a nosso respeito. Nada melhor do que analisar Sua Palavra para aprendermos a ser quem Deus quer que nós sejamos. Convido você a dedicar alguns minutos de cada dia desta semana, para juntas, conhecermos o plano real de Deus para a minha a para a sua vida. Hoje é o primeiro, faltam mais cinco dias. Você está disposta?

"...Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra".
(Apocalipse 5:9,10)

  P.S.: Se você gostou desta postagem, deixe seu comentário ou clique em Reações.

Vem Sobre Mim!

Louvor da Semana
 Gosto muito de cantar músicas que tenham algum significado para mim. A música está tão enraizada no meu coração que, mesmo quando estou triste, consigo cantar. Não só quando preciso ministrar o louvor na Igreja, mas em casa mesmo, nos afazeres diários, em meio aos meus compromissos, na rua, onde quer que eu esteja, estou sempre cantando, nem que seja só em pensamento.
Lendo a palavra hoje, me deparei com a seguinte promessa de Deus para minha vida: (Efésios 3:20)
"Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós..."
 Em meio aos desafios que estão à minha frente, diante dos sonhos que preciso realizar, está a palavra de Deus. Nada pode me impedir, não por mim mesma, mas porque o poder de Deus está na minha vida! Ainda que o inimigo use pessoas para me dizer o contrário, nesta nova semana, neste novo mês que se inicia, eu declaro e tomo posse disso para a minha vida: Eu Sou o que a Bíblia diz que eu sou!
Ouça esta música, medite nela, cante-a todos os dias e receba o poder sobrenatural do Senhor sobre a sua vida também!